43ª Mostra SP exibe filmes premiados em festivais estrangeiros e pré-indicados ao Oscar

43ª Mostra de Cinema em São Paulo | São Paulo Int’l Fim Festival – Abertura da Central da Mostra no Conjunto Nacional – Data: 12/10/2019 – Foto: Mario Miranda Filho/Agência Foto

O vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes, Parasita, de Bong Joon-ho, o do Urso de Ouro no Festival de Berlim, Synonyms, de Nadav Lapid, a Concha de Ouro no Festival de San Sebastián, Pacificado, de Paxton Winters, serão exibidos durante a 43ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. O evento começa neste fim de semana.

Além deles, também estão confirmados na programação Honeyland, de Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska, vencedor do Grande Prêmio do Júri da seção World Cinema de documentários no Festival de Sundance, e Os Tubarões, de Lucia Garibaldi, prêmio de melhor direção na seção World Cinema — Dramatic do mesmo festival.

Do Festival de Cannes, integram a programação da Mostra O Paraíso Deve Ser Aqui, de Elia Suleiman, prêmio Menção Especial do Júri, O Jovem Ahmed, dos irmãos Dardenne, vencedor do prêmio de Melhor Direção, e O que Arde, de Oliver Laxe, vencedor do Prêmio do Júri na mostra Um Certo Olhar.

Entre os longas que foram exibidos no Festival de Berlim, a Mostra exibe Deus É Mulher, Seu Nome É Petúnia, de Teona Strugar Mitevska, vencedor do Prêmio do Júri Ecumênico, Viajante da Meia-noite, de Hassan Fazili, vencedor do Prêmio do Júri Ecumênico da Mostra Panorama, Meu Verão Extraordinário com Tess, de Steven Wouterlood, menção especial na seção Generation K.

A seleção também traz 12 obras indicadas por seus respectivos países para concorrerem a uma vaga ao Oscar® de melhor filme estrangeiro:
Alemanha: System Crasher, de Nora Fingscheidt
Argélia: Papicha, de Mounia Meddour
Argentina: A Odisseia dos Tontos, de Sebastián Borensztein
Austrália: Empuxo, de Rodd Rathjen
Brasil: A Vida Invisível, de Karim Aïnouz
Colômbia: Monos, de Alejandro Landes
Coreia do Sul: Parasita, de Bong Joon-ho
Equador: La Mala Noche, de Gabriela Calvache
Macedônia: Honeyland, de Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska
Noruega: Cavalos Roubados, de Hans Petter Moland
Palestina: O Paraíso Deve Ser Aqui, de Elia Suleiman
República Tcheca: O Pássaro Pintado, de Václav Marhoul